A história de uma das religiões mais antigas do mundo: o Hinduísmo.

Quando falamos de religião, podemos citar a que é considerada uma das mais antigas manifestações religiosas, o hinduísmo. Ela tem as suas origens na tradição védica. O nome se dá devido aos moradores que habitavam a região do rio Indo e as planícies do Gandhi. Este povo chamava o seu sistema de crença de “sanatana-dharma”.

Existem alguns relatos da existência deste povo há mais ou menos 2 mil anos a.C.. Uma destas manifestações são chamadas de Vedas (que quer dizer sabedoria). São quatro obras e elas são consideras como as escrituras sagradas mais antigas da história. Estes livros são compostos de hinos religiosos. Neles estão as explicações do culto, religião, a forma de entendimento da vida etc.

Os Vedas foram registrados em um idioma chamado sânscrito védica, uma língua que não existe mais, mas que serviu para unificar as diversas culturas ali existentes. Graças a alguns ensinamentos mais importantes, presentes nessa obra, fez deles os livros sagrados para mais de 1 bilhão de pessoas. Elas seguem seitas diferentes e que serão abordadas posteriormente.

No primeiro momento, a religião hindu tem um deus supremo chamado de Indra – deus das tempestades, guerra e trovão – e se assemelha ao deus grego Zeus.

Com o passar do tempo, surgiu uma classe sacerdotal, esta classe passou a exercer o domínio na Índia, realçando o culto religioso. A partir desse momento, surge o brahmanismo.  Esses sacerdotes começam a dividir a sociedade em classes, ou seja, a sociedade passa a ser dividida em castas. Afinal, eles acreditam na transmigração das almas, a fim de promover a evolução do espírito.

O hinduísmo passa a ter uma compreensão melhor de si mesmo, a partir dos últimos escritos, que são: os “Upanishads”, “Ramayana” e o “Mahabharata” . Consequentemente, são considerados a base filosófica desta religião.

Hinduísmo e deuses indianos

 A religião hindu é formada por diversas tradições e sem um fundador. Portanto, engloba a pluralidade de fenômenos religiosos, mas dentre todas essas tradições, há alguns conceitos em comum, entre elas estão o dharma, samsara e o karma.

O que é dharma, karma e samsara?

Se for possível dar um significado literal para a palavra dharma, podemos dizer que é a “lei natural da vida”. Mas a ideia é que este conceito seja aplicado na vida de cada indivíduo. Para que isso aconteça, o ideal é que ele compreenda seu interior, o mundo e Deus. Quando esta compreensão acontece, ele passa a tomar decisões no mundo, questionando-se sempre sobre a sua forma de comportamento e o quanto ela pode interferir em tudo. As três formas de compreensão, deve ser uma balança, a qual nós medimos como devemos nos comportar. Para concluir, esperamos que este caminho nos leve à paz interior, a partir do autoconhecimento, sabedoria e felicidade.

Já o karma, diferente do que acreditamos, não é destino.  Como significado, karma quer dizer ação e pode ser considerado como a “lei do equilíbrio”. Acredita-se que cada ação pode trazer consequências, tanto no ambiente externo, quanto no ser. Por exemplo, como uma lei universal de causa e efeito. Ou seja, o resultado de pensarmos na lei do karma é termos consciência e responsabilidade por todas as ações que executamos.

O último conceito em comum é o samsara. Representada por uma roda e significa ciclo. Conhecida como a crença na reencarnação, através do karma. É o ciclo de nascimento, morte e renascimento da alma pessoal, ou seja, uma eterna roda de experiências. É possível alcançar a libertação desse ciclo e há três formas para alcançá-la: o conhecimento, o bom comportamento e a devoção aos deuses.

Observando essas três definições, podemos concluir que elas operam em conjunto, pois se referem ao processo de elevação espiritual da alma. Segundo Buda, tudo é uma questão de tempo. Ele acredita que todos os seres alcançarão o nirvana, um estado de paz e tranquilidade conquistado com sabedoria ou a “outra margem”. Mesmo que precisem percorrer muitas rodas de samsara.

A religião hinduísta é considerada politeísta, ou seja, tem adoração por diversas divindades. Muitos deuses são cultuados no hinduísmo. Podemos considerar que existem três mais importantes, são conhecidos como a Trimúrti:  deus Brahma, Shiva e Vishinu. Juntos são considerados a força da criação do universo. O deus Brahma é considerado como “o criador”. Ele representa o equilíbrio, enquanto os outros dois representam forças opostas, destruição e conservação, respectivamente.

Acredita-se que existem aproximadamente 3 mil de deuses na Índia. Mas nos aprofundaremos especificamente em três: Shiva, Ganesha e Krishna.

 

1 pensou em “A história de uma das religiões mais antigas do mundo: o Hinduísmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *